sábado, 24 de novembro de 2007

Android: primeiro passo para o Gphone?

O vídeo de lançamento (muito bom!) do Google Android não deixa claro se realmente existirá um aparelho Gphone. Na verdade, no vídeo é afirmado que não existirá e que a plataforma Android é que possibilitará que as pessoas criem milhares de Gphones. Android é uma plataforma livre que tentará padronizar as aplicações para dispositivos móveis. Inclui sistema operacional, middleware e aplicações chave. Para dar suporte ao projeto, foi criada a Open Handset Alliance.

O fato é que não importa muito se o Gphone irá ou não existir como um dispositivo próprio, já que o Android pode sim incomodar os atuais players do mercado, principalmente o Iphone. Essa é minha opinião e de outros. Porém, há bastante controvérsia sobre isso, como o próprio John Dvorak, que não crê que isso vá ocorrer. Aliás, ele comenta que o Google não possui fans da mesma maneira que a Apple e o BlackBerry. Eu, particularmente, não tenho tanta certeza.

Fazendo uma analogia, será que estamos num momento tecnológico parecido com o embate que houve entre Apple Mac e IBM PC nos anos 80 (Android é o PC 2.0, a versão mobile do IBM PC)?

Vamos aguardar os próximos capítulos dessa emocionante história!

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Desafios do terceiro trimestre

Já estamos quase na metade do terceiro trimestre do mestrado e as duas (últimas duas!!!) disciplinas que estão sendo estudadas são: Desenvolvimento de Software Orientado à Computação Móvel e Ubíqua e Projetos de Sistemas de Software na Internet.

De agora em diante direcionarei o foco a assuntos mais fortemente associados à minha dissertação. SOA (Service-oriented architecture), computação ubíqua ou pervasiva, computação móvel e Web 2.0 serão os assuntos que provavelmente serão mais discutidos de agora em diante.

Como diria o professor Barbosa: avante!

Abraços

Últimos trabalhos do segundo trimestre

A correria está cada vez maior, sendo difícil sobrar algum tempo para postar aqui. Além disso, a partir de agora não são todos os trabalhos que tenho permissão para disponibilizar para download.

Abaixo seguem os links dos dois últimos artigos produzidos no segundo trimestre:

Uma Comparação entre os Algoritmos Depth-First Search e Cutting-Plane para a Resolução do Problema do Caixeiro Viajante.

Utilizando Árvore de Decisão para Extrair Conhecimento do Censo 2000 do Estado do Rio Grande do Sul.

Atualizado em 14/02/2011: Os links para download dos artigos foram corrigidos.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

O problema do caixeiro viajante

O Problema do Caixeiro Viajante (PCV), ou Traveling Salesman Problem (TSP), é um caso típico de otimização combinatória, freqüentemente utilizado em computação para demonstrar problemas de difícil resolução. A sua definição formal é: encontrar um caminho através de um grafo valorado que inicie e termine no mesmo vértice, passe por todos os demais vértices do grafo uma única vez e minimize o custo total. O problema do caixeiro viajante é um problema de otimização associado ao da determinação dos caminhos hamiltonianos em um grafo qualquer. O objetivo do PCV é encontrar, em um grafo G = (N, A), o caminho hamiltoniano de menor custo.

Fiz um programa em Java que implementou o algoritmo Depth-First Search (busca em profundidade) para encontrar a solução ótima do problema do caixeiro viajante. Quem quiser pode fazer o download do programa. O algoritmo implementado é de força-bruta, ou seja, testa todas as possibilidades possíveis. Assim, como a complexidade do programa é da ordem de n!, logo a execução do programa torna-se inviável. Em meus testes, para n=14, o tempo de execução foi de 42,73 minutos. A estimativa de tempo para n=15 é de 15 vezes esse tempo, ou seja, 641 minutos.

Ao executar o programa, deve ser informada a matriz de adjacência do grafo, indicando as distâncias entre os vértices. A figura acima ilustra a execução do problema do caixeiro viajante com n=4. Para n=5, deve-se incluir uma uma nova linha e uma nova coluna em todas as linhas. O resultado apresentará o menor caminho que saia da cidade 0, passe por todas as outras cidades e retorne para 0.

Atualizado em 14/02/2011: O link para download do programa foi corrigido.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Convertendo AFND para AFD

Tive que implementar, para a disciplina de Análise de Algoritmos, um conversor de autômato finito não-determinístico para autômato finito determinístico. Disponibilizo o programa que implementei em java para download. A implementação é bem simples, sem orientação a objetos propriamente dita, apenas uma classe com alguns métodos. O importante é que funcionou. Importante salientar que não foi implementada a conversão de estados vazios.

Ao iniciar o programa, algumas opções já vêm pré-preenchidas, como os estados, o alfabeto, o estado inicial, um estado final e a função de transição de um autômato, ilustrado na figura abaixo. O único campo que precisa ser informado é a seqüência de entrada. Primeiramente deve ser executada a conversão, clicando-se no botão "Converter para AFD". Depois clica-se em "Executar" para verificar se a entrada é aceita ou rejeitada. Por exemplo, para o AFND padrão (pré-preenchido) a entrada 010101 resultará em rejeição e a entrada 0101010 será aceita.

Abraços

Atualizado em 14/02/2011: O link para download do programa foi corrigido.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

The Anatomy of a Large-Scale Hypertextual Web Search Engine

Esse é o título do artigo publicado em 1998 no Proceedings of the seventh international conference on World Wide Web 7, por Sergey Brin e Lawrence Page. Sim, é o próprio artigo onde o Google é proposto, baseado no sitema PageRank criado pelos mesmos autores. Quem tiver interesse pode fazer download do artigo completo.

Boa leitura!

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Dilemas dos mestrandos

Quem faz mestrado ou doutorado, invariavelmente, precisa deixar um pouco de lado a convivência social. Isso é certo! Talvez uns mais, outros menos. Sobre isso, encontrei um post que descreve muito bem alguns dos diálogos comuns entre pós-graduandos e amigos ou familiares. Transcrevo abaixo um texto obtido no blog do Catatau, chamado Melô do Pós-graduando e do Bolsista, o qual exemplifica muito bem alguns dos dilemas dos mestrandos e doutorandos.

- E aí, o que você faz?
- Faço pós-graduação.
- Sim, mas no quê você trabalha?
- Faço minha pesquisa de pós-graduação.
- Ah, então você é apenas estudante, ainda não trabalha… (com ar de admiração)
- Sim, mas tenho bolsa, e a bolsa…
- A bolsa é para não pagar a mensalidade, né? Tenho um amigo/tio/irmão-do-primo-do-vizinho que também ganhava bolsa, conseguiu 50% de desconto.
- Não, não é esse tipo de bo…
- Ele(a) está quase terminando a pós. Depois, vai fazer mestrado. Mas antes, a especialização
- Mas é que eu faço…
- Mas e a pós, é apenas nos finais de semana, não é mesmo? E o quê você faz durante todo o resto do tempo?
- …

***

Chega aquele parente que você não vê há tempos:

- E aí, como vão as coisas?
- Tudo bem. Ufa (ar de alívio), estou quase terminando a pós
- Mas então, você ainda não trabalha?
- Bem… estou fazendo minha pesquisa da pós, super-ocupado agora que estou no final e…
- Mas e o resto do tempo (referindo-se à semana, aos dias úteis), o que você faz?
- …

***

Um amigo liga:

- E aí cara, vamos sair?
- Cara, hoje não posso, estou super-atarefado com a pesquisa
- Ei, mas hoje é sábado
- Sim, mas estou apertado
- Duvido que você esteja apertado e não tenha 2 horas para sair (com ar de indignação)
- Pior é que estou, tenho que terminar uma tarefa para a semana que vem, e já estou há duas semanas fazendo isso, sem folga nem nos fins de…
- Ah, entendo (com ar de ceticismo e desaprovação). Também vivo ocupado.
- Então, que bom que compreende
- Mas todos nós temos os nossos problemas. Os seus não são justificativa para não vir, e (…)
- …

***

E tem aqueles que, pelo simples fato de para eles "não trabalhar" (com muitas aspas), o bolsista só poderia ser um vagabundo:

(…)
- Então você ainda não trabalha?
- É que faço pós, e…
- Tá, mas que pós você faz?
- Faço mestrado/ou/doutorado em…
- Ei, espera aí, você disse que fazia pós
- Sim, faço mestrado/ou/doutorado
- Não, primeiro vem a pós, depois a especialização, depois o mestrado e então o doutorado
- Sim, mas existe uma diferença, a pós stricto sensu, e a lato sensu. "Pós" é tudo isso junto, e faço mestrado/ou/doutorado
- Nunca ouvi falar disso, acho que não é bem assim. Mas então você faz mestrado/ou/doutorado…
- Sim.
- É, mas ainda tem que fazer MBA. É o último nome em negócios, bem melhor do que pós…
- …

Variação I

- Ah, entendi, você faz mestrado/ou/doutorado. Tenho um amigo/tio/irmão-do-primo-do-vizinho que fez mais ainda: fez PHD.
- …

Variação II:

- É, tenho um amigo/tio/irmão-do-primo-do-vizinhoque também faz pós, e ainda trabalha
- …

***

- Ah, então você faz pós? Também fiz pós, mas já terminei
- O que você fez?
- Fiz ASDFPQPIURUIR na Uni-Esquina, e APDOFDUR, na Fa-Cil
- Hmmm
- Os professores de lá são super-renomados. São melhores que os da Federal. O curso é relâmpago, último nome em educação empresarial. E ainda os preços são super-baixos.
- O.o
- Você faz Federal, né? Mas vai nessa, continua se dedicando que um dia você chega lá
- Hum… Obrigado
- Mas e aí, você trabalha?

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Visão Geral da Metodologia Tropos

Resumo

A partir do surgimento de mais um paradigma de desenvolvimento de software – orientado a agente – houve a necessidade de definição de metodologias para a sua efetiva utilização como ferramenta de desenvolvimento de software. Tropos é uma das abordagens que estão sendo implementadas. Baseada na arquitetura de sistemas multi-agente BDI, na qual são bem definidas as crenças, os desejos e as intenções dos agentes, Tropos é fortemente guiado pelos requisitos do sistema, sendo que utiliza o framework i* para suportar as fases iniciais da metodologia. Este artigo apresentará Tropos e as fases de sua metodologia, juntamente com o estudo de caso de uma loja de mídia virtual Medi@. Ainda, será apresentada brevemente a fase de análise de pré-requisitos do estudo de caso que será implementado em trabalho futuro.

Para quem tiver interesse, segue o link com o artigo completo chamado Visão Geral da Metodologia Tropos, que fiz para a disciplina de Engenharia de Software Orientada a Agentes.

Até a próxima!

Atualizado em 14/02/2011: O link para download do artigo foi corrigido.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Autômato Finito Determinístico

Seguindo a idéia de postar aqui assuntos relacionados ao mestrado, desta vez o post é sobre autômatos (automata), mais precisamente Autômatos Finitos Determinísticos - AFD (Deterministic Finite Automata - DFA), que estão sendo estudados na disciplina Análise de Algoritmos.

Segundo o Wikipédia, Autômato Finito Determinístico é uma máquina de estados finitos onde, para cada par de estados e símbolo de entrada, existe um próximo estado determinístico. A figura abaixo ilustra um AFD.



Como trabalho da disciplina tive que implementar um AFD que contemplasse os seguintes requisitos:
  • Receber como entrada os seguintes dados: (K, Σ, δ, s, F).
  • Os dados devem estar em formato texto.
  • O AFD deve informar se aceita ou rejeita a entrada informada.
Para quem tiver interesse, fiz um programa em Java para solucionar o problema proposto. O download é livre. Bom proveito!

Atualizado em 14/02/2011: O link para download do programa foi corrigido.

quarta-feira, 4 de julho de 2007

CLT x PJ

Há algum tempo, as empresas de TI descobriram que poderiam contratar mão de obra sem, efetivamente, contratar um novo funcionário através da tradicional Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Não, não fizeram nenhuma mágica, mas sim começaram a contratar empresas prestadoras de serviços, que forneceriam a mão de obra. Isso existe em qualquer área e há bastante tempo, não havendo nada de errado com essa prática. Porém, tornou-se cada vez mais freqüente, principalmente com a disseminação da terceirização de serviços de TI, sendo que cresceu muito com a contratação de mão de obra terceirizada, também chamada de outsourcing. Ou seja, empresas deixaram de contratar funcionários para "alugar" funcionários de outras empresas. Isso foi evoluindo até que essas próprias empresas começaram a contratar diretamente mão de obra através de empresas de um único funcionário, as famosas PJ's, ou Pessoas Jurídicas.

Não há nada de errado com a contratação de PJ. Porém, o que penso é que está sendo feito o que eu chamo de gambiarra na contratação de mão de obra de TI. Empresas estão contratando funcionários fixos dessa forma. Contratar serviços de terceiros é uma coisa, mas o funcionário trabalhar fixo na empresa, com horários definidos, subordinação à chefia, e-mail, telefone, e não ser CLT, daí é visivelmente uma tentativa de enganar a lei.

Só que essa tentativa de enganar a lei pode custar caro às empresas. Se o funcionário entrar na justiça, ganhará certo. Sei de diversos exemplos. E o valor das causas não é baixo não. Além disso, a empresa não pode divulgar que o funcionário entrou na justiça contra ela, porque daí a pena aumentará ainda mais. Advogados não cansam de alertar sobre isso. Com certeza, o governo sabe e está bolando alguma forma de coibir essa prática.

Além disso, tem toda a questão dos benefícios de ser contratado através de CLT, tais como férias remuneradas, décimo-terceiro salário, FGTS, seguridade social, vale-refeição, entre outros. Claro que isso depende de cada empresa, sendo que sei de algumas (poucas) que contratam como PJ e também dão certos benefícios a seus funcionários.

Recentemente, houve um grande aumento na contratação de funcionários através de PJ, principalmente os que possuem salários mais altos. Porém, há indícios de que isso possa estar mudando. Segundo a revista Info, mais de oito mil pessoas deixaram de ser PJ para ser CLT em 2006, somente em São Paulo. Além disso, grandes empresas que contratam serviços de outsourcing estão passando a exigir que esta contratem seus funcionário através de CLT, para evitar causas da trabalhistas, que podem ocorrer contra ambas. Foi constatado, também, que a massiva contratação de PJ reduziu a qualidade dos serviços prestados pelas empresas de TI.

Não vou nem citar as vantagens de uma ou de outra forma de contratação, até porque não sou especialista nisso. Mas algumas informações e comentários interessantes podem ser encontrados no blog do Rodrigo Strauss e no site Profissionais de Tecnologia.

Só para constar, além de PJ, existem outras formas alternativas de contratação de mão de obra que usualmente são usadas por empresas de TI, tais como cooperativas, participação societária, contratações temporárias, estágio, etc. Para acabar com essa "esculhambação", espero que, o mais rápido possível, seja feita uma atualização na CLT, com o intuito de simplificar a contratação de funcionários, modernizando a lei e, principalmente, reduzindo os impostos incidentes sobre os "celetistas".

Eu poderia escrever muitas páginas sobre isso, mas a idéia era apresentar brevemente o que penso e propiciar uma discussão sobre o assunto. Portanto, comentem!

sexta-feira, 22 de junho de 2007

Netbeans 6.0

Sou um usuário, ainda recente, do IDE Netbeans. A versão atual é a 5.5, mas está se criando uma grande expectativa em cima do lançamento da versão 6.0 do programa. Não vou listar aqui todas as novidades incluídas na nova versão, apenas tenho a intenção de citar esse lançamento para ilustrar o esforço que a Sun está tendo em fornecer uma plataforma cada vez mais amigável e com mais recursos, propiciando o desenvolvimento de aplicações Java em tempo reduzido.

Não quero me ater a comparações, principalmente com o Eclipse e com o Oracle JDeveloper, até porque não os conheço suficientemente bem para poder firmar alguma posição. Além disso, qualquer posição sempre leva em conta um percentual subjetivo do chamado "gosto pessoal". É fácil encontrar defensores de cada uma dessas plataformas travando "duelos" em fóruns na Internet.

Algumas praticidades da nova versão podem ser verificadas neste link: http://www.netbeans.org/download/flash/netbeans_6_gui_builder/netbeans_6_gui_builder.html. Quem tiver mais interesse pode consultar esta página para encontrar maiores informações sobre a nova versão do Netbeans.

Divirtam-se!

sexta-feira, 15 de junho de 2007

Fim do primeiro trimestre

Mais uma etapa do mestrado chegou ao fim. Depois da seleção e nivelamento, agora finalizou o primeiro trimestre. As notas ainda não saíram, mas acredito que não haverá nenhuma surpresa negativa. Portanto, chega de "Técnicas de Programação", "Probabilidade e Inferência Estatística" e "Modelagem e Simulação". E que venha "Engenharia de Software Orientada a Agentes", "Prospecção de Dados e Extração de Conhecimentos" e "Análise de Algoritmos".

Para finalizar o trimestre, último artigo apresentado: Comparação Estatística de Ferramentas Anti-Spam de Serviços de Web-Mail.

Abraços

segunda-feira, 11 de junho de 2007

Modelagem e Simulação de um Restaurante

Mais um artigo escrito para o mestrado, desta vez referente à disciplina de Modelagem e Simulação. Abaixo apresento o resumo do artigo, que pode ser obtido através de download.

Simulação é uma maneira poderosa e efetiva para auxiliar na tomada de decisões. Simular como algum sistema irá se comportar após tomar determinadas atitudes permite que se possa avaliar a melhor forma de agir, principalmente em situações críticas, onde muitas vezes não se tem a oportunidade de errar. Porém, antes da simulação em si, deve-se fazer o principal: a modelagem do sistema.

Este artigo irá apresentar a modelagem e a simulação de um sistema, com o objetivo de verificar se é possível diminuir o tempo médio gasto pelos clientes em um restaurante.

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Service-Oriented Architecture: Teoria e Prática

Embora já existam há mais de uma década, arquiteturas orientadas a serviço voltaram a ganhar destaque recentemente como uma tecnologia capaz de melhorar consideravelmente a interoperabilidade entre aplicações de software. Neste ressurgimento da arquitetura, houve uma alteração no seu principal componente, os serviços, que agora são os Web Services. Este artigo irá apresentar conceitos da arquitetura e seus principais componentes, sendo que finalizará com um estudo prático através da implementação de dois protótipos de aplicação SOA.

O texto acima é o resumo de um artigo chamado Service-Oriented Architecture: Teoria e Prática, que escrevi como trabalho de mestrado para a disciplina de Técnicas de Programação. Provavelmente, escreverei muito mais sobre SOA nos próximos meses. Para quem não conhece, SOA é um assunto muito interessante e com um futuro promissor pela frente.

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Implementando SOA

Service-Oriented Architecture (SOA), Arquitetura Orientada a Serviços em português, é uma das siglas "da moda" em TI, atualmente. Irei falar muito disso nos próximos meses. Mas, no momento, por falta de tempo, somente deixo o link para quem quiser baixar a apresentação de um trabalho do mestrado, da disciplina de Técnicas de Programação, onde foram implementados alguns protótipos utilizando a plataforma Netbeans: Implementando SOA.

Nos próximos posts explicarei muito mais sobre essa nova arquitetura de sistemas.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Caindo na real

"Quer construir uma aplicação web de sucesso? Então é hora de Cair na Real. Caindo na Real é o menor, mais rápido e melhor caminho para construir software".

É com essa introdução que inicia o livro Getting Real, que tem tradução em português disponibilizada gratuitamente no site http://gettingreal.37signals.com/GR_por.php. O livro propõe técnicas contraditórias à maioria dos processos de desenvolvimento atuais, cada vez mais complexos. A idéia principal é "permanecer pequeno e ser ágil", sendo que o desenvolvimento "inicia com a construção da interface, ou seja, as telas reais que as pessoas irão utilizar".

Vale a leitura!

Utilizing Simulation To Evaluate Business Decisions In Sense-And-Respond Systems

Este artigo será apresentado por mim na disciplina de Modelagem e Simulação do professor Adelmo Cechin. Para quem tiver interesse: boa leitura!

Abstract

Simulation can be an effective way to evaluate alternative decisions in Sense-and-Respond systems prior to taking actions to resolve existing or anticipated business situations. In Sense-and-Respond systems, business situations arise within predefined contexts that specify what aspects of the business need to be monitored and what information is needed to make decisions. We have designed a decision support system that dynamically configures simulation models based on business context and interactively presents simulation results to business analysts. In this paper, our decision support system is applied to the IBM Demand Conditioning process, in which mismatches between supply and demand are identified and corrective actions are initiated.

sexta-feira, 30 de março de 2007

A Bayesian Approach to Filtering Junk E-Mail

Seguindo o prometido no tópico anterior, de agora em diante estarei postando aqui alguns artigos utilizados no mestrado, sendo que, quando for o caso, o artigo será de minha autoria.

O artigo A Bayesian Approach to Filtering Junk E-Mail é de autoria de Mehran Sahami, Susan Dumaisy, David Heckermany e Eric Horvitzy e fala sobre a utilização de algoritmos bayseanos para filtrar lixo eletrônico. Segue abaixo o abstract. Se houver interesse, clique aqui para fazer o download do artigo completo.

Abstract

In addressing the growing problem of junk E-mail on the Internet, we examine methods for the automated construction of filters to eliminate such unwanted messages from a user's mail stream. By casting this problem in a decision theoretic framework, we are able to make use of probabilistic learning methods in conjunction with a notion of diferential misclassification cost to produce filters which are especially appropriate for the nuances of this task. While this may appear, at first, to be a straight-forward text classification problem, we show that by considering domain-specific features of this problem in addition to the raw text of E-mail messages, we can produce much more accurate filters. Finally, we show the eficacy of such filters in a real world usage scenario, arguing that this technology is mature enough for deployment.

quinta-feira, 29 de março de 2007

Desafios 2007

Num dos posts abaixo comentei que 2007 prometia, no sentido de haverem muitos desafios encaminhados. Definitivamente, isso agora é fato. Estou cursando o Mestrado em Computação Aplicada, na Unisinos, financiado por uma bolsa CAPES. Com isso, a partir de agora tentarei postar aqui artigos e trabalhos feitos ou estudados durante o curso.

Além disso, fui promovido a Supervisor do Centro de Informática da FEE, com certeza outro grande desafio.

sexta-feira, 16 de março de 2007

Mestrado: fim do nivelamento

Pois é, hoje é o último dia do nivelamento do mestrado da Unisinos. E, para finalizar uma provinha básica de Fundamentos Matemáticos: vetores, retas, planos, cônicas, derivadas e integrais. O último grande teste antes do grande desafio que será o mestrado.

Para descontrair um pouco, uma tira extraída do site PhDcomics:

sábado, 24 de fevereiro de 2007

Erro ao executar programas do MS-DOS

Após ter certa dificuldade consegui executar alguns programas antigos que tinha guardado no meu micro. Muitos deles criados por mim no início da faculdade. Aproveito para deixar aqui a solução do problema. A propósito, o erro ocorre na tentativa de execução de programas do MS-DOS no Windows XP, no caso utilizando o prompt de comando do MS-DOS.

O problema ocorre no momento da execução do programa, quando aparece uma janela com a seguinte mensagem:

SUBSISTEMA DO WINDOWS DE 16 BITS

C:\WINDOWS\SYSTEM32\AUTOEXEC.NT. O arquivo de sistema não é adequado à execução de aplicativos do MS-DOS e do Microsoft Windows.
Escolha 'Fechar' para finalizar o aplicativo.

A solução é copiar o arquivo autoexec.nt da pasta C:\WINDOWS\repair para a pasta C:\WINDOWS\system32. Simples!

Espero que a dica possa ser útil pra mais alguém ;-).

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

De volta à labuta

Acabaram as férias!!! Embora tenham sobrado alguns dias de saldo para o decorrer do ano ;-).

Muitos desafios em 2007. Um deles inicia amanhã: o nivelamento do Mestrado em Computação Aplicada da Unisinos. Durante as próximas quatro semanas de aulas diárias sairá a lista das bolsas de estudos. Portanto, ainda não está definido que realmente cursarei este curso, mas espero ser contemplado com uma delas.

E por hoje é só!

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Vídeo sobre a evolução da Web

Este vídeo é muito bem-feito e mostra com perfeição a evolução da Web até o momento atual da Web 2.0. Apreciem e comentem!

http://www.youtube.com/watch?v=6gmP4nk0EOE

[]'s

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

Enfim, férias!

O primeiro mês de 2007 já terminou. Resta somente mais um mês das férias generalizadas (no Brasil todos sabem que janeiro e fevereiro é assim). Finalmente chegou a minha vez. Depois de alguns anos ausente estarei de volta à Garopaba.

2007 promete. Muitos desafios estão se enfileirando, um mais difícil do que o outro, mas todos serão vencidos. Preciso de um tempo de descanso para voltar com todo o gás. Aliás, todo mundo precisa.

Até depois do carnaval!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Exploração digital?

Após ler um post no blog do Urubatan sobre o assunto, decidir postar algo aqui também.

A vinda para o Brasil de grandes empresas de software sempre foi saudada por diversos setores da sociedade, principalmente governos e profissionais da área. No entanto, testemunhei diretores de empresas de T.I. "torcendo contra" determinada empresa que estava vindo para cá, por causa da concorrência e conseqüente escassez de mão-de-obra. Faz parte, cada um defende o seu lado.

Mas o assunto que quero abordar é que, na real, essas empresas vêm para o Brasil apenas para "roubar" a nossa mão-de-obra, que é qualificada e muito barata em relação aos seus países de origem. Para eles, é um baita negócio montar uma unidade aqui, contratar centenas ou milhares de funcionários baratos para desenvolver seu software, que depois é vendido inclusive pelo mundo todo, inclusive no Brasil, por um preço muito mais alto. Um outro país onde isso acontece é a Índia, país que o Brasil está tentando igualar-se, embora estejamos muito longe ainda.

A princípio isso é bom para o Brasil. Dá emprego qualificado para muitas pessoas, com salários razoáveis. Há ganhos, sim. Por outro lado, isso pode se considerado como sendo a velha exploração dos países desenvolvidos sobre os países em desenvolvimento. O software é deles. O produto final é deles. A mão-de-obra é nossa. Apenas.

Não tenho conhecimento sobre algumas questões legais sobre esse software desenvolvido aqui, se o Brasil ganha algo para remetê-lo para a matriz no exterior ou não, então algumas questões ficam em aberto. Se alguém souber e quiser postar aqui será bem-vindo.

Assunto complexo esse!