quinta-feira, 27 de novembro de 2008

O Android vai destruir o iPhone???

O título deste post é uma mescla do título de um post do Maurício Moraes, do blog Na Linha do Google, da INFO e três pontos de interrogação, que eu coloquei. Isso porque eu pergunto: será mesmo? Abaixo transcrevo o referido post completo.

Steve Jobs é um cara teimoso. Ele revolucionou o mundo dos computadores pessoais ao criar o Macintosh, mas viu sua brilhante interface se popularizar por meio do Windows. Não é difícil perceber que o Android, do Google, vai fazer o mesmo estrago no iPhone.

O que deu errado nos anos 80 todo mundo sabe. A Apple apostou em um sistema fechado de computador e sistema operacional, enquanto Bill Gates desenvolveu por uma alternativa capaz de funcionar em qualquer PC – mesmo os mais tranqueiras. Foi uma segunda revolução, mais ampla e mais duradoura, que resultou na popularização dos micros em todo o planeta e fez a Microsoft deixar empresa de Jobs comendo poeira.


Quando o iPhone foi lançado, no ano passado, todo mundo ficou de queixo caído. E não é para menos. Com uma interface inédita e muito intuitiva, o aparelho deixou os outros celulares com cara de tijolões ultrapassados. As vendas estão em alta agora, mas, como eu disse, Jobs é teimoso. O que é o iPhone? Um celular fechado com um sistema também restrito. E o que é o Android? Um sistema que pode ser usado em qualquer smartphone. O Google de hoje é a Microsoft de duas décadas atrás.

O primeiro indício de que a Apple começa a perder terreno surgiu nesta terça-feira. A HTC, fabricante do primeiro celular com Android, o G1, revisou sua previsão inicial de aparelhos produzidos em 2008. Em vez de 600 mil, a empresa pretende despachar 1 milhão de unidades este ano. Para quem não se lembra, o modelo foi lançado há apenas um mês. No ano que vem, outras operadoras vão lançar vários celulares com Android. Quem salvará o iPhone?

sábado, 8 de novembro de 2008

R.E.M. em Porto Alegre

Tive a oportunidade de presenciar ao vivo este grande show de uma das principais bandas norte-americanas. O show do R.E.M. foi sensacional e conciliou clássicos e músicas dos últimos álbuns. Como era previso, não faltaram referências e homenagens ao Barack Obama. Eles estão bastante empolgados com a escolha dele para a presidência dos EUA.

Para quem perdeu, alguns vídeos abaixo.





terça-feira, 4 de novembro de 2008

CLT x PJ: 9 por 1 na GPTI

Voltando à questão CLT x PJ, já abordada diversas vezes por este blog, apresento abaixo uma reportagem que saiu hoje no Baguete, que mostra o caso de uma empresa que está apostando todas as fichas no regime CLT. Grifos do blog.

A GPTI S.A. encerrou o mês de outubro com aproximadamente 90% de seus profissionais já atuando nos moldes do regime CLT.

A expectativa da empresa é alcançar 100% de CLTização de seus 3 mil colaboradores atuais, além de ampliar seu quadro para 5 mil profissionais ainda em 2008.

O objetivo da empresa é minimizar os riscos de passivo trabalhista e tornar-se mais atraente para investidores e mostrar-se como um alternativa para empresas americanas e indianas.

“Há anos, as empresas da área de TI contratam funcionários como pessoas jurídicas. Entretanto, esta prática bastante comum está perdendo espaço”, afirma Roberto Modugno, diretor-executivo de gestão de pessoas da GPTI.

Segundo ele, a empresa acredita que a CLTização, em breve, será assimilada pelo mercado de forma ampla e se tornará uma tendência no segmento, uma vez que há um movimento crescente no mercado em buscar parceiros alinhados com políticas de governança.

Sobre o WebMedia 2008 e Vila Velha

Na semana passada estive em Vila Velha - ES para participar do XIV Simpósio Brasileiro de Sistemas Multimídia e Web. Além de apresentar oralmente o paper SOA Engine - Services Compositions Execution in Ubiquitous Environments, apresentei como pôster o trabalho U-SOA - Towards a Ubiquitous Platform Based on Service-Oriented Architecture. Juntamente com o WebMedia, ocorreram ainda outros dois grande eventos: V Simpósio Brasileiro de Sistemas Colaborativos e o VI Latin American Web Congress.

O WebMedia é um evento já famoso no calendário científico brasileiro, sendo qualificado como Qualis A pela CAPES, ou seja, está entre os mais importantes e relevantes do Brasil (e difíceis de aprovar artigo). O evento foi muito bem organizado e todas as escolhas foram de muito bom gosto, entre elas o coquetel de abertura e o sensacional jantar de confraternização no Hotel Ilha de Boi, na capital capixaba Vitória. Aliás, Vila Velha e Vitória são cidades muito bonitas. Impressionou-me também a quantidade de construções de edifícios nas duas cidades, algo muito acima da média.

Entre as diversas opções disponíveis na programação oficial, destaco a palestra de Simon Harper, intitulada NeoVictorian Computing, with a Twist, e que abordou questões de usabilidade da Web.

Abaixo foto tirada por mim da janela do Hotel Mercure Pasárgada, local do evento.