sábado, 28 de fevereiro de 2009

Mestre Luciano Zanuz

Conforme foi anunciado, no dia 19 de fevereiro, às 14h, eu apresentaria a minha dissertação de mestrado na Unisinos, no PIPCA. E apresentei! E fui aprovado! Portanto, agora podem me chamar de mestre Luciano Zanuz ou, simplesmente, Msc. Luciano Zanuz ;-).

Embora a maioria fale que é quase impossível rodar na banca, ninguém quer ser a exceção. Dizem que, se a dissertação foi entregue, só um desastre impediria a aprovação, até porque nesse caso o próprio orientador seria reprovado com o aluno. Mesmo assim, casos existem, e não gostaria de ter sido um deles.

A defesa da dissertação é pública e divulgada para a sociedade. No meu caso, estavam presentes os dois professores da minha banca, o meu orientador, o professor da banca ocorrida pela manhã (Marco Aurélio Gerosa), outros dois colegas orientandos do mesmo orientador, Giovane e Alexsandro, e mais dois alunos do mestrado.

A minha banca foi composta pelos professores Hugo Fuks e Jorge Luis Victoria Barbosa, sendo que o meu orientador foi o professor Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto. Para mim, foi uma honra a composição dessa banca. O professor Hugo Fuks, da PUC-Rio, é um pesquisador muito conceituado nacional e internacionalmente. O professor Barbosa, da Unisinos, embora mais jovem, está trilhando um caminho de sucesso já bastante reconhecido. Ambos são bolsistas de produtividade do CNPq, níveis 1D e 2, respectivamente.

O aluno teria entre 30 a 40 minutos para apresentar o seu trabalho, mas eu acabei levando um pouco mais, 45 minutos. Após isso, os dois professores da banca fizeram seus comentários e perguntas. Primeiro o professor convidado, segundo o professor do PIPCA. O professor Hugo não entrou muito nos detalhes do texto, embora tenha me deixado a sua cópia da dissertação com as suas anotações, que eu ainda nem olhei (farei hoje). Claro, algumas críticas sempre são ouvidas. Mas faz parte, afinal, esse é o processo para o "reles" estudante tornar-se um mestre "bancado" por eles. Já o professor Barbosa repassou algumas partes do texto. Coisas que ele não havia entendido, problemas, erros. Mas nada muito grave. Impressiona o fato que as partes que sabemos que não estão muito boas invariavelmente são "questionadas" pela banca. Nada passa. Nada passou. As principais considerações de ambos foram críticas construtivas para as próximas etapas, para que o trabalho renda publicações, de preferência em journals como o JBCS (Journal of Brazilian Computer Society).

Enfim, mais um etapa concluída! Ok, ainda falta fazer algumas alterações de acordo com os comentários da banca, o que eu deveria estar fazendo agora, inclusive. Mas o pior já passou!!!

Abraços

4 comentários:

DanielBauermann disse...

Parabéns cara!

Agora é esperar a minha vez e torcer para que tudo saia bem também.

Abraços!

Gustavo disse...

É, pelo visto, a banca de mestrado lê as dissertações, diferentemente da graduação.

Sem querer ser repetitivo, PARABÉNS, mais uma vez!

Fernando Razera disse...

Meu mestre!

Denise Loreto Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.