quinta-feira, 4 de junho de 2009

Último FISL em Porto Alegre???

Se o título deste post realmente acontecer, será uma grande perda para Porto Alegre, mais uma entre tantas. Espero que essa tendência possa ser revertida. Falo isso após ler o texto abaixo, publicado hoje no Baguete. FISL em Porto Alegre, tchê!

O último Fisl em Porto Alegre?

Porto Alegre pode receber aquela que será a última edição do Fórum de Software Livre em junho. Ao que tudo indica, Curitiba deve sediar o evento em 2010.

“É difícil continuar aqui”, desabafou Marcelo Branco, coordenador geral da Associação Software Livre em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 04.

Branco criticou a "falta de apoio da gauchada", além de problemas menores, como a restrição de horário. Ao contrário de outros anos, a PUC-RS restringiu a permanência dos participantes até as 18h.

Na oitava edição, a ASL.org levou o Fisl para a Fiergs, medida que não teve continuidade.

O fato é que os patrocínios locais estão em queda - apenas a Congregação Marista é patrocinadora Ouro do evento nesta edição. Propus e Senac aparecem na categoria Prata.

Patrocinador de inúmeros eventos, o Banrisul aparece apenas na categoria Bronze, juntamente com a Solis, de Lajeado. Em outras edições, o evento contava também com apoio de estatais gaúchas Procergs e Procempa entre os apoiadores de primeira linha.

Órgãos do governo federal como Serpro e Dataprev, além de ministérios diversos estão na lista dos apoiadores, a qual se juntaram nos últimos anos empresas privadas como Google, Locaweb e Globo.com. As cotas vão de R$ 6 mil a R$ 60 mil.

Patrocinadora desde 2004, a estatal de processamento de dados paranense Celepar é uma das empresas que mais contribui com o evento nesta décima edição. O governador Roberto Requião é um entusiasta do software livre e segundo Marcelo Branco, o estado é um dos mais evoluídos no uso das tecnologias de código aberto.

“Requião disse que virá a Porto Alegre para levar o Fisl ao estado. O governador nos ofereceu dois locais em Curitiba e um em Foz do Iguaçu, totalmemente grátis para sediar o fórum”, confidencia Branco.

O presidente da ASL.org revelou o interesse de cidades como Rio de Janeiro e Canoas em abrigar o evento. “Os gaúchos precisam se unir para vencermos os obstáculos e manter o fórum em Porto Alegre”, avalia Branco.

Petista declarado, Marcelo Branco – que foi vice-presidente da Procergs no governo Olívio Dutra – pontuou a pequena participação do governo do estado e do município no evento que, segundo ele, ajudou a projetar Porto Alegre no cenário nacional e internacional.

Sady Jacques, que presidiu a ASL.org na gestão anterior, também manifestou descontentamento. “Levamos dois meses para conseguir finalmente entregar o convite do Fisl ao prefeito”, exemplificou.

Jacques e Branco, assim como o gerente regional da Dataprev, Mário Teza, estiveram reunidos na quarta, 03, com o prefeito Fogaça e o presidente da Procempa, André Imar Kulczynski. Na reunião, Fogaça teria dito que estava disposto a "fazer todo o necessário para manter o Fisl na capital".

Evento movimenta economia

Segundo Sady Jacques, o embaixador da Associação Software Livre, o evento custa R$ 1,4 milhão e movimenta entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões para a cidade. Para Sady, falta um centro de eventos do porte adequado.

A restrição da PUC-RS, que proibirá qualquer evento após as 18h, terá maior efeito na Arena de Programação, local de desafio para programadores que costumavam passar madrugadas no prédio 40 da instituição.

Palestras também serão afetadas, mas os organizadores afirmam que uma programação cultural descentralizada em Porto Alegre servirá de ponto de encontro para os entusiastas do software livre em locais como Opinião e Ocidente.

Comentário no Quentinhas

O possível fim do Fisl em Porto Alegre foi comentado pelo editor do Baguete, Maurício Renner, em post no blog Quentinhas. Confira a opinião do jornalista no link relacionado abaixo.

Nenhum comentário: